+351 21 790 8300 ext. 1496
cesem@fcsh.unl.pt

Francesco Esposito a.k.a. Russo

MEMBRO INTEGRADO

Francesco Esposito a.k.a. Russo

Foto
fraspo@hotmail.com
Nota Biográfica:

Depois do curso de Piano e da licenciatura em História da Música em Nápoles (com uma dissertação sobre a escola pianística napolitana do século XIX), doutorou-se em Ciências Musicais na Universidade Nova de Lisboa com uma tese sobre a vida concertística lisboeta do século XIX. Investigador do CESEM e membro do Caravelas (Núcleo de Estudos da História da Música Luso-Brasileira), foi bolseiro da Fundação Gulbenkian e de pós-doutoramento da FCT, desenvolvendo uma pesquisa sobre as tournées concertísticas oitocentistas. Autor de artigos e de uma ampla monografia sobre a vida musical lisboeta oitocentista (Francesco Esposito, “Um Movimento Musical como nunca houve em Portugal”: associativismo musical e vida concertística da Lisboa liberal, Lisboa, Colibri 2016), colaborou com as últimas edições de New Grove, MGG e Istituto della Enciclopedia Italiana; com um ensaio sobre a estadia de Franz Liszt em Portugal ganhou a V edição do Premio Liszt da Fondazione Liszt de Bolonha. Docente de Letras em Itália, leccionou em diversas instituições portuguesas entre as quais a Escola Superior de Música, o Instituto Politécnico de Setúbal, o Conservatório Nacional de Música de Lisboa e a Universidade Nova de Lisboa. Colabora com o Teatro de S. Carlos (Lisboa) e a Casa da Música (Porto) e é actualmente co-investigador responsável do projecto: PROFMUS, Ser Músico em Portugal: a condição sócio-profissional dos músicos em Lisboa (1750-1985), PTDC/ART-PER/32624/2017; foi membro da equipa de investigação do projecto O Teatro de S. Carlos: as artes do espectáculo em Portugal, (PTDC/EAT/70038/2006), CESEM (Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical da FCSH-UNL) e do projecto Estudos de Música Instrumental em Portugal: 1755 – 1834, (PTDC/EAT-MMU/104206/2008), UnIMeM (Unidade de Investigação em Música e Musicologia) da Universidade de Évora.

Publicações:

Francesco Esposito, “Conquistar el mercado de la América del Sur: los pasos ibéricos de Sigismund Thalberg y la modernización de la actividad concertística del siglo XIX”, in (Javier Marín, ed.) Sones de ida y vuelta: músicas coloniales a debate (1492-1898), Jaén, Diputación Provincial de Jaén – Centro Nacional de Difusión Musical (no prelo).

Francesco Esposito, “La sinfonia concertante come ‘metafora musicale’: il ruolo della musica orchestrale nei concerti pubblici di Lisbona (1822-53)”, in (Illiano, Suárez García e Sóbrino, ed.) Symphonism in Nineteenth-Century Europe, Turnhout (Belgium), Brepols (no prelo).

Francesco Esposito, “Os primeiros passos em direcção à crítica musical: algumas considerações sobre a presença da música na imprensa da Lisboa liberal (1822-1855)”, in (Manuel Pedro Ferreira, Teresa Cascudo, ed.) Música e História. Estudos de Homenagem a Manuel Carlos de Brito, Lisboa, Colibri, 2017.

Francesco Esposito, “Um movimento musical como nunca houve em Portugal”: Associativismo musical e vida concertística na Lisboa liberal: 1822-1853, CESEM/Edições Colibri, Lisboa, 2016 (484 pp.). ISBN 978-989-689-509-9.

Francesco Esposito, “Um “mediocre divertimento”: concertos, benefícios e academias em Lisboa entre 1822-1833”, in (Vanda de Sá, Cristina Fernandes, ed.) Música instrumental no final do Antigo Regime: contextos, circulação e reportórios, Lisboa, Colibrí, 2014, pp. 179-215.