+351 21 790 8300 ext. 1496
cesem@fcsh.unl.pt

Guilherme Paoliello

VISITANTE

Guilherme Paoliello

Foto
Morada: Universidade Federal de Ouro Preto
Professor Associado
gpaoliello@ifac.ufop.br
Nota Biográfica:

Guilherme Paoliello formou-se em composição pela Escola de Música da UFMG, tendo sido aluno de H. J. Koellreutter e César Guerra-Peixe. Também frequentou cursos livres de composição com Dante Grela e Eduardo Bértola. Concluiu doutorado em Educação defendendo tese sobre a Fundação de Educação Artística, escola onde foi professor durante vinte anos. É professor do curso de música da Universidade Federal de Ouro Preto onde coordena projetos de extensão, como o Programa de Iniciação Musical e o Grupo de Estudos em Música Contemporânea (GEMC). Foi curador do Festival de Inverno de Ouro Preto/Mariana e foi diretor do IFAC (Instituto de Filosofia, artes e Cultura).

Publicações:

Interações e rupturas: a Fundação de Educação Artística, uma escola livre. 1. ed. Saarbrücken: Novas Edições Acadêmicas, 2015. v. 1. 208p .

Rufo Herrera: entre a tradição e a vanguarda. Artefilosofia (UFOP), v. 16, p. 21-29, 2014.

Bach e o esquecimento: análise do prelúdio BWV 999 de J. S. Bach. Artefilosofia (UFOP), v. 16, p. 46-53, 2014.

Sísifo: uma experiência formativa. In: Simpósio de estética e filosofia da música, 2016, Porto Alegre – RS. Música, Filosofia e Bildung. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2016.

PROJECTO DE PÓS-DOC/DOUTORAMENTO/MESTRADO
Título Labirintos do sul: espaço e som na arte contemporânea portuguesa e brasileira
Orientação:

Margarida Brito Alves – IHA
Isabel Pires (c) – CESEM

Resumo:

O trabalho procura traçar um itinerário investigativo na arte contemporânea, através da problematização das relações entre som e espaço. Para isso, tomamos como referência inicial a convergência entre dois percursos criativos: a progressiva incorporação de problemas relativos ao espaço em artistas oriundos do campo musical e a correlata apropriação do som enquanto material fundamental em obras de artistas do campo das artes visuais e de outras manifestações plásticas da arte contemporânea. Cabe assinalar uma terceira via de integração entre som, espaço e visualidade, desenvolvida por poetas concretos e experimentais. A partir dessa trajetória de reconfiguração das categorias artísticas, propomos uma investigação que considere o papel de contestação, problematização e criação de novas poéticas, representado por criadores não detentores de uma narrativa hegemônica da história da arte.

Grupo de Investigação:

Música Contemporânea