+351 21 790 8300 ext. 1496
cesem@fcsh.unl.pt

Sónia Duarte

COLABORADOR

Sónia Duarte

Foto
Bolseira de doutoramento FCT
Nota Biográfica:

Sónia Duarte é doutoranda em História da Arte na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL) com o tema “Imagens de Música na Pintura Barroca em Portugal (1600-1750)” que conta com as orientações científicas do Professor Doutor Vítor Serrão (FLUL) e do Professor Doutor Manuel Pedro Ferreira (FCSH), bolseira da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), colaboradora do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (CESEM, FCSH), membro do Núcleo de Iconografia Musical (2013, NIM, FCSH), e membro da Direcção dos Amigos do Arquivo de Penafiel. É Mestre em Musicologia Histórica com a Dissertação “O Contributo da Iconografia Musical na Pintura Quatrocentista e Quinhentista Portuguesa, Luso-Flamenga e Flamenga em Portugal, para o Reconhecimento de Práticas Musicais da Época: Fontes e Modelos Utilizados nas Oficinas de Pintura” (2012, FCSH); Mestre em Ensino da Educação Musical (2013, ESE, IPP); Especializada em Conservação e Restauro de Pintura  (2006, Camera di Commercio Italiana); Licenciada em História da Arte (2004, FLUP); frequentou a Licenciatura em Ciências Musicais (2009, FCSH) e o Curso de Percussão (2004, Conservatório de Música do Porto). Foi bolseira de estágio no Museu Nacional da Música (2010-2011) e no Arquivo Histórico de Penafiel (2013). Nos últimos anos leccionou as disciplinas de Educação Musical, História da Música e História da Cultura e das Artes no Ensino Artístico Especializado (Música, Dança e Teatro).

RUN: visitar
Publicações:

Sónia da Silva DUARTE, “Não desapareceu e está em sítio digno: a extinção das ordens religiosas e a redescoberta da tábua quinhentista atribuída a Gregório Lopes, outrora no convento de Santo António da Piedade de Évora”, Património Artístico das Ordens Religiosas, ed. Clara Moura Soares (ARTIS ON, n.º 3, Universidade de Lisboa; Biblioteca Nacional de Portugal, 2016), pp. 63-70. ISSN 2183-7082

Sónia da Silva DUARTE, “Iconografia Musical na Pintura Retabular e Mural Quatrocentista: Álvaro Pires de Évora, Bernardo Martorell e os ignotos Mestres da Batalha, de Arouca e de Monsaraz”, Incip 3. Workshop de Estudos Medievais da Universidade do Porto (Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2014), pp. 153-164. ISBN: 978 989 8648 44 0

Sónia da Silva DUARTE, O contributo da iconografia musical na pintura portuguesa, luso-flamenga e flamenga em Portugal, para o reconhecimento de práticas musicais da época: fontes e modelos usados nas oficinas de pintura, 2 volumes, Mestrado em Musicologia Histórica (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, 2012).

Sónia Maria da Silva DUARTE, “E em Portugal ha taes, tam grandes e naturaes: imagens de música nas tábuas do pintor régio Gregório Lopes”, Iconografia Musical: Autores de Países Ibero-Americano e Caraíbas, ed. e coord. Luzia Rocha, Núcleo de Iconografia Musical/Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM/Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, 2014), pp. 156-179. ISBN 978-989-20-5491-9

PROJECTO DE PÓS-DOC/DOUTORAMENTO/MESTRADO
Título Tese de doutoramento: Imagens de Música na Pintura Barroca em Portugal (1600-1750)
Referência da Bolsa: SFRH/BD/118103/2016
Resumo:

Está por fazer o estudo da iconografia musical na pintura portuguesa. O facto de ser genericamente ignorada nas análises iconográficas-iconológicas devido aos planos secundários em que se representa ou referida sem rigor de designação, justifica a realização deste ‘corpus’, resultante da observação directa e da descrição científica desses aspectos, não só na pintura em Museus mas também na que se encontra em igrejas, capelas, colecções particulares, misericórdias, santuários, e outras. Este projecto visa, assim, fazer um levantamento exaustivo das representações musicais da época barroca, desde os instrumentos às notações musicais na pintura. As balizas cronológicas compreendem os anos 1600-1750 (dinastia Filipina, anos da Restauração e apogeu pedrino-joanino) sendo objectivos o inventário, catalogação, identificação e disseminação dos espécimes, quer em texto científico, quer na costumização de uma Base de Dados. É nosso objectivo, deste modo, contribuir para um maior conhecimento da História da Arte e da Música em Portugal.

Grupo de Investigação:

Teoria Crítica e Comunicação