+351 21 790 8300 ext. 1496
cesem@fcsh.unl.pt

Angela Portela

INVESTIGADOR EM FORMAÇÃO

Angela Portela

Foto
Doutoranda
a44169@students.fcsh.unl.pt
Nota Biográfica:

Graduou-se em Música (Bacharelado em Piano) pela Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, sob a orientação do Professor Sérgio Tavares. Nesta mesma Universidade, em 2005, obteve o título de Mestre em Música (Musicologia Histórica), defendendo a dissertação intitulada “Mulheres Pianistas e Compositoras nos Salões Aristocráticos do Rio de Janeiro de 1870 a 1910”, sob a orientação da Profa. Doutora Vanda Freire. Como docente, lecionou nas graduações em Música da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e, posteriormente, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Como investigadora, tem se dedicado ao estudo histórico-sociológico da atuação de mulheres musicistas no Brasil, no período do século XIX ao início do século XX. Participou de projetos de pesquisa, dos quais se destacam: Ópera Brasileira em Língua Portuguesa (1992-1993); Registro Patrimonial de Manuscritos do Arquivo de Obras Raras da Biblioteca Alberto Nepomuceno/UFRJ (1993-2007); O Real Theatro de São João e o Imperial Theatro de São Pedro de Alcântara (1998-2004); A Canção e a Mulher, entre Teatros e Salões – Intertextualidade em Cena (Rio de Janeiro, 1860-1930) (2013-2015), estes sob a coordenação da Professora Doutora Vanda Freire. Realizou ainda, o projeto de investigação “Acervo Iconográfico da Escola de Música da UFRN”, acerca do desenvolvimento da música no Estado do Rio Grande do Norte e sua ligação com a história da Escola de Música da UFRN, sob a coordenação do Professor Doutor Gabriel Gagliano, tendo recebido subvenção do Governo Federal Brasileiro para a sua execução entre 2011 e 2014. Atualmente, é bolsista da CAPES/Brasil no âmbito do curso de Doutoramento em Ciências Musicais Históricas na Universidade Nova de Lisboa (CESEM/UNL), sob a orientação da Professora Doutora Luísa Cymbron, concentrando-se no circuito de mulheres musicistas entre Brasil e Portugal, de 1870 a 1910.

Publicações:

Portela, Angela e Vanda Freire. “Mulheres Compositoras: da Invisibilidade à Projeção Internacional.” Em Estudos de Gênero, Corpo e Música: abordagens metodológicas, editado por Isabel Porto Nogueira e Susan Campos Fonseca, V. 3, 279-302. Goiânia / Porto Alegre: Editora da ANPPOM, 2013.

Portela, Angela e Vanda Freire. “Entre teatros e salões, soam canções – Rio de Janeiro e Lisboa (1860 -1930).” Em Congresso Internacional “A Música no Espaço Luso-Brasileiro: um Panorama Histórico”, editado por Alberto José Vieira Pacheco, 876-898. Lisboa: Caravelas – Núcleo de Estudos da História da Música Luso-Brasileira, CESEM, FCSH- UNL e Grupo de Pesquisa “Estudos Interdisciplinares em Ciências Musicais”, UFPel, 2013.

Portela, Angela e Vanda Freire. “Mulheres Pianistas e Compositoras, em Salões e Teatros do Rio de Janeiro (1870-1930)”. Cuadernos de Música, Artes Visuales y Artes Escénicas 5, no 2 (2010): 61-78.

PROJECTO DE PÓS-DOC/DOUTORAMENTO/MESTRADO
Título Doutoramento: Mulheres Musicistas nos Teatros Luso-Brasileiros entre 1870 e 1910
Orientação:

Luísa Cymbron

Referência da Bolsa: Capes Brasil
Resumo:

Palavras-Chave: Mulheres, Música, Teatro, Sécs. XIX-XX, Lisboa, Rio de Janeiro.

Este projeto de pesquisa tem por objetivo principal investigar a presença, as práticas e produções musicais de mulheres musicistas brasileiras e portuguesas que se destacaram nos teatros do Rio de Janeiro e de Lisboa, no período de 1870 a 1910. Para tanto, elegemos alguns perfis de figuras femininas que formam um grupo artístico que consideramos como representativo nos quadros da época. Através deste grupo, pretende-se investigar como as mulheres estavam inseridas no contexto de circuito de músicos entre Portugal e Brasil, as suas motivações profissionais, a freqüência com que empreendiam viagens e em que condições, como se dava a interação com outros músicos e empresários teatrais, em que teatros elas atuaram, quais eram seus repertórios, como foi a recepção do público, as influências sofridas quanto ao repertório executado, inclusive quando atuavam como compositoras. Buscaremos ainda compreender as possíveis dificuldades enfrentadas por este grupo de mulheres. Estes fenômenos serão analisados partindo sobretudo do olhar da “opinião pública”, tendo, como principal base documental, notícias de jornais da época, ilustrações e demais materiais iconográficos recolhidos em jornais e arquivos. Queremos investigar de que maneira a opinião pública luso-brasileira descreveu as atividades profissionais dessas mulheres, e que imagem pública lhes foi atribuída, intencionando compreender se os ideais da emancipação feminina característicos deste tempo influenciaram de alguma forma as suas trajetórias profissionais. Adotaremos, nesta investigação, a visão proposta pela musicóloga Marcia J. Citron (1993), que compreende o problema do gênero não como uma oposição bilateral, mas sim como um contexto mais complexo onde ambos os gêneros se relacionam e interpenetram ativamente em busca da expressão de suas identidades sociais.

Grupo de Investigação:

Música no Período Moderno