(+351) 918832027/20
cesem@fcsh.unl.pt

Rui Faustino

MEMBRO INTEGRADO

Rui Faustino

Foto
Trabalhador independente/Músico
a52199@campus.fcsh.unl.pt
Nota Biográfica:

Rui Faustino (*1975), born in Algarve, Portugal. In 1994 he got admitted in Escola Profissional de Música de Espinho, in the percussion course under Miguel Bernat. Here he attended workshops with Percussion Group Cincinnati, Kroumata Percussion Ensemble and Fritz Hauser. From 1997 on, he attends the Hot Club Portugal studying jazz with João Moreira, Bernardo Moreira and drums with Aldo Caviglia, workshops with Gregory Tardy, Chris Cheek, Billy Hart. In 2002 he got admitted in Universität der Künste, Berlin, where he studied with David Friedman and Jerry Granelli. Workshops with Joey Baron, Jamey Haddad, Matt Garrison. In 2016 initiated his master studies in musical arts under direction of Isabel Pires. Mainly a jazz and improv musician, bandleader of FREN Quartet with Silke Eberhard, Nikolaus Neuser and Jan Roder. Their CD, 50 for Jacc Records was praised both by national and international critics and was mentioned among the best releases of the year by All About Jazz. He also worked with Axel Dörner, Antonio Borghini, J.P. Esteves da Silva, Carlos “Bechegas”, Nuno Ferreira, Mathias Bauer, Tobias Delius, Kazuhisa Uchihashi, among others. He made music for film, theater and dance.

Pós-Doutoramento/Doutoramento/Mestrado
Título Mestrado: Música Para Bateria Solo: Um Estudo do Uso da Bateria na Música Erudita
Orientação:

Isabel Pires

Resumo:

O projecto artístico pretende, salientar as potencialidades da bateria e a validade da sua contribuição para a música erudita através do desenvolvimento e estudo de um conjunto de peças escritas por mim ou para mim. Desde os anos ’90 que se tem assistido a um interesse crescente por parte de instrumentistas e compositores em desenvolver um repertório para a bateria. A bateria é um instrumento com uma história que compreende sensivelmente um século de existência. Nascida no seio da música popular, é lá que comummente a encontramos. No decorrer de todo o século XX podemos observar o desenvolvimento galopante das técnicas, dos idiomas e da indústria deste instrumento que adquiriu uma popularidade notável, sendo actualmente um instrumento de relevo internacional. Quanto maior o virtuosismo e popularidade da prática deste instrumento, mais demarcada é a separação entre essa música, de carácter popular, e a música artística de expressão europeia.

Grupo de Investigação:

Música Contemporânea