+351 21 790 8300 ext. 1496
cesem@fcsh.unl.pt

Filipa Magalhães

INVESTIGADOR EM FORMAÇÃO

Filipa Magalhães

Foto
Bolseira de doutoramento FCT
filipa.magalhaes@campus.fcsh.unl.pt
Nota Biográfica:

Filipa Magalhães integrou o Programa Doutoral em Ciências Musicais – “Música como Cultura e Cognição”, financiado pela FCT – Fundação para a Ciência e a Tecnologia, estando a sua tese de doutoramento na última fase de revisões. No âmbito da sua investigação dedica-se à preservação de obras musicais que compreendem diferentes meios, incluindo técnicos e tecnológicos, assim como ao desenvolvimento de ferramentas metodológicas com base em disciplinas interdisciplinares, visando documentar e estudar essas obras do ponto de vista musicológico. Na sua tese trabalhou especificamente sobre um conjunto de obras de teatro-música da compositora Constança Capdeville, tendo em vista a recuperação das mesmas através da sua documentação. Em 2013, concluiu o Curso de Mestrado em Artes Musicais: Estudos em Música e Tecnologias, dissertação intitulada: “Levantamento de Espólios Fonográficos em Fita Magnética: Avaliação do Estado de Conservação das Fitas”, tendo no âmbito da sua investigação estagiado no Arquivo Fonográfico de Viena, sob a orientação de Nadja Wallaszkovits. Em 2014, estagiou no Ina – Institut National de l’Audiovisuel, um instituto de radiodifusão pública cultural, recuperação e transmissão do património audiovisual francês, sob a orientação de Vincent Fromont. Em 2017, estagiou no laboratório CSC – SMC / Sound and Music Computing Laboratories, sediado na Universidade de Pádua, no qual no qual decorreram as primeiras investigações sobre a aplicação de tecnologias eletrónicas e digitais ao som e à música, trabalhando diretamente com as coleções áudio de Luciano Berio e Luigi Nono, sob a orientação de Sergio Canazza. É atualmente membro do Grupo de Investigação em Música Contemporânea (GIMC), integrado no CESEM NOVA FCSH.

Publicações:

Filipa MAGALHÃES, Isabel PIRES. “Recovering Music-Theatre Works Involving Electronic Elements: The Case of Molly Bloom and FE…DE…RI…CO….” Organised Sound 24, no. 1 (2019): 96–108. doi:10.1017/S1355771819000098.

Isabel PIRES, Filipa MAGALHÃES, Andreia NOGUEIRA, “Preservation and technological obsolescence: Portuguese contemporary musical heritage in perspective”, Journal of New Music Research Volume 47 – Issue 4 (2018): 355- 364. doi:10.1080/09298215.2018.1486433.

Filipa MAGALHÃES, Isabel PIRES, “Providing access to music-theatre works with electronic sound on tape: The case of Constança Capdeville”, Ed. Bertram Lyons, Journal of the International Association of Sound and Audiovisual Archives, Issue no. 47 (2017): 48-60 – ISSN 1021-562X.

Pós-Doutoramento/Doutoramento/Mestrado
Título Doutoramento: "A música já não pode viver sozinha": Da interação rumo à identidade na obra de Constança Capdeville.
Referência da Bolsa: UID/EAT/00693/2019
Resumo:

A conceção estética de Constança Capdeville, nas suas diferentes formas de exploração do conceito de teatro-música, combinando expressões artísticas distintas através do que poderia ser classificado como um contraponto heterogéneo entre diversos elementos (música, gravação em fita magnética, iluminação, textos, diapositivos, objetos, etc.), contribuiu para a criação de um trabalho totalmente original e único. Muita da documentação conhecida e acessível atualmente não está nas melhores condições de conservação (nomeadamente a sua coleção de fitas magnéticas). Além disso, parte da documentação das suas obras de teatro-música encontra-se dispersa ou perdida, não se conhecendo, na maioria dos casos, a articulação entre a documentação existente, esta não está sistematizada, sendo por isso difícil reconstruir as suas performances. Este facto inviabiliza ainda a análise das suas obras. Nesse sentido, revela-se essencial salvaguardar todos os materiais, incluindo os suportes magnéticos, mesmo quando se trata de registos de espetáculos, organizando-os e documentando-os em meios apropriados. A fim de problematizar a situação atual, desenvolvendo propostas metodológicas e musicológicas, centraremos o nosso estudo nas obras: Mise-en-Requiem, Cerromaior, Molly Bloom, Double, FE…DE…RI…CO…. Esta escolha não é aleatória pois propomos apresentar diferentes abordagens à obra de Capdeville, evidenciando alguns pontos comuns e particularidades existentes em obras tão distintas.

Grupo de Investigação:

Música Contemporânea

Imagens:
image_preview (1)
image_preview (2)
image_preview (3)