(+351) 918832027/20
cesem@fcsh.unl.pt

Ana Cláudia Assis

COLABORADOR

Ana Cláudia Assis

Foto
Professora Associada
anaclaudia@ufmg.br
Nota Biográfica:

Ana Cláudia de Assis é pianista e Professora Associada da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) onde desenvolve projectos de pesquisa e artísticos sobre a música contemporânea. Doutora em História pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG (em parceria com o IPEAT/Université de Toulouse) e mestre em Práticas Interpretativas da Música Brasileira pela UNI-RIO, é autora do livro Os Doze Sons e a Cor Nacional: conciliações estéticas e culturais na produção musical de César Guerra-Peixe (1944-1954). Em 2010, realizou junto ao CESEM- Universidade Nova de Lisboa, pós-doutoramento sobre a relação entre o compositor Fernando Lopes-Graça e a música brasileira. Como intérprete tem realizado concertos no Brasil e no exterior a convite de importantes festivais, dentre os quais: Bienal da Música Brasileira e Festival Internacional de Musica da UFG (Brasil), Monaco Electroacoustique (Mônaco), Visiones Sonoras e Festival Internacional de Música de Morelia (Mexico), Ai-Maako Festival (Chile), Festival de Outono e Dias de Música Eletroacústica (Portugal), Skammdegi AIR Award (Islândia). Participou como intérprete em diversos CDs e gravou três CDs solos: Música Dodecafônica de César Guerra-Peixe para piano (2015); Sonoridades: peças contemporâneas para piano (2016); Vertentes: música brasileira para piano (2017). Actualmente desenvolve investigação de pós-doutoramento sobre a obra para piano de Jorge Peixinho, junto ao CESEM-UNL, com apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.

Publicações:

ASSIS, A. C.. Que ?ismo? é esse, Koellreutter?: Guerra-Peixe e Lopes-Graça entrelaçando os fios dodecafônicos (1944-1958). OPUS (BELO HORIZONTE. ONLINE), v. 22, p. 115-146-146, 2016.

ASSIS, A. C.. Conversa com Fernando Lopes-Graça: trânsitos culturais na música brasileira. MÚSICA HODIE, v. 13, p. 168-180, 2013.

Os Doze Sons e a Cor Nacional: conciliações estéticas e culturais na produção musical de César Guerra-Peixe (1944-1954). ISBN8539106833, 9788539106837 Editora Annablume, São Paulo. https://www.youtube.com/watch?v=4mNqa0kZNhE. 1. ed. São Paulo: Annablume, 2014. v. 1. 228p .

Pós-Doutoramento/Doutoramento/Mestrado
Título Pós-doutoramento: Fazer música, fazer história: interpretando a obra para piano de Jorge Peixinho
Referência da Bolsa: Bolsas Gulbenkian de Investigação sobre Temas da Cultura Portuguesa para Estrangeiros
Resumo:

O objetivo dessa investigação é construir uma interpretação dos Estudos para piano (1968-1992) de Jorge Peixinho, recorrendo ao método histórico como ferramenta para problematizar e interpretar as escolhas estético-musicais do compositor em seu diálogo dinâmico com seu tempo e seu meio. A escolha por Peixinho constitui um desdobramento da investigação desenvolvida em 2010 intitulada Fernando Lopes-Graça e César Guerra-Peixe: trânsitos culturais na música brasileira. Assim como Lopes-Graça que teve um importante papel no debate sobre a música brasileira entre 1930 e 1950, Jorge Peixinho será aquele que irá dialogar diretamente com a vanguarda brasileira dos anos 1980 e 1990. Esse diálogo é expresso tanto em seus escritos, como em sua obra musical. Se na investigação de 2010 a abordagem metodológica incidiu no campo específico da Musicologia Histórica interessa-nos, agora, abordar nosso objeto de pesquisa numa perspectiva interdisciplinar da Performance com a História. Para além do pressuposto de que a obra pianística de Peixinho e, sobretudo, sua série de Estudos para piano constituem um laboratório onde o idiomatismo instrumental reivindica o estatuto de elemento estruturador no plano da criação e revela, por seu turno, o interesse do compositor pelo virtuosismo e pela expansão da técnica pianística, acreditamos que eles são denotativos de informações novas sobre a forma encontrada por Peixinho para expressar a constante tensão entre tradição e liberdade criadora, temática cara às estéticas pós-1950 inclusive no contexto brasileiro.

Grupo de Investigação:

Teoria Crítica e Comunicação

Linhas e Núcleos de Investigação:

Estudos Luso-Brasileiros

Núcleo Caravelas