Maria Isabel Amaro da Silva Pina

Maria Isabel Amaro da Silva Pina

Nota Biográfica:

Isabel Pina é doutorada em Ciências Musicais pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, tendo beneficiado de uma bolsa de doutoramento FCT (SRFH/BD/131591/2017). Interessa-se sobretudo pelo estudo da história da música em Portugal nos séculos XIX e XX, música e ideologia, nacionalismo, neoclassicismo, análise musical, imprensa periódica e crítica musical, temas em torno dos quais tem vindo a publicar e a participar em diversos congressos nacionais e internacionais. Defendeu a sua tese de doutoramento em Ciências Musicais, intitulada “Para uma genealogia da criação musical em Portugal no século XX: a posteridade de Luís de Freitas Branco e o conceito de escola de composição”, em 2022. É investigadora no Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical, onde é membro do Grupo de Teoria Crítica e Comunicação, colaboradora do Grupo de Estudos Avançados em Sociologia da Música e uma das fundadoras e coordenadoras do Núcleo de Estudos em Música na Imprensa.

Publicações e outros outputs:

Pina, Isabel. “Companheira, mensageira e apaziguadora de ânimos: Maria Helena de Freitas e o «mestre», através da sua correspondência com Fernando Lopes-Graça”. In Musical Trouble: after Buttler…, 69-83. Vila Nova de Famalicão, Portugal: Húmus, 2021.

Pina, Isabel. “O crepúsculo do velho Teatro de S. João: Wagner, Puccini e a chegada da modernidade”. In O Velho Teatro de S. João (1798-1908): Teatro e Música no Porto do Longo Século XIX, 451-474. Porto, Portugal: Edições Afrontamento, 2020.

Pina, Isabel. “«O que representa a música para nós como forma de cultura, em que medida a prezamos, como a conseguimos valorizar»: a crítica musical enquanto crítica nacional na imprensa periódica do século XX”. In Para uma história do jornalismo em Portugal, 511-527. Lisboa, Portugal: Livros ICNOVA, 2020.

Pina, Isabel. “O integralismo musical de Luís de Freitas Branco: de Viriato a Camões”. Revista Portuguesa de Musicologia 5 2 (2018): 357-387. http://rpm-ns. pt/index.php/rpm/article/view/356.